Notícias

Publicidade
Publicidade


13/04/2018 20:31

Com Prefeitura de Patos perdida entre buracos, motoristas pedem planejamento na Alça Sudeste



Os motoristas que trafegam pela Alça Sudeste em Patos, no Sertão paraibano,  têm questionado o planejamento da operação tapa-buraco da prefeitura que, apesar de sido contemplada com o serviço, em alguns locais novos buracos se misturam a remendos recentes e, em outros, o serviço não é contínuo, como por exemplo, na Rotatória que dá acesso ao Rodoshopping e Aeroporto.

Um dos trechos em que os motoristas devem ter uma maior atenção é na curva onde a qualquer momento pode acontecer um acidente entre veículos ou com pedestres que fazem caminhada nos dois sentidos da Alça.

A Alça Sudeste é uma obra estruturante, pensada e construída no governo do então prefeito Nabor Wanderley, para atender as demandas de mobilidade urbana, com projeção para os próximos cinquenta anos. Seu objetivo é desafogar o trânsito no centro da cidade e facilitar o tráfego de veículos de carga, advindos principalmente da região da Serra do Teixeira, com destino a cidades como Campina Grande, João Pessoa, Cajazeiras, Sousa e Pombal.

A Alça Sudeste possui uma extensão total de 2 quilômetros e 600 metros, além de uma ponte com 140 metros de comprimento por sete metros de largura, interligando o Bairro do Santo Antonio e o Centro da cidade à BR-230. Toda sua extensão recebeu capeamento asfáltico em TSD (Tratamento Superficial Duplo), para áreas de tráfego intenso de veículos pesados.

Por: Airton Alves / patosverdade.com

 

\"IMG_20180413_075258646_HDR\"

\"IMG_20180413_075217052\"

\"IMG_20180413_075402016\"

\"IMG_20180413_075849348\"