Eventos

Publicidade
Publicidade


18/03/2016 07:47

Usuários do CRAS Severina Celestino vão às ruas em combate ao Aedes Aegypti



Para conscientizar a população acerca dos cuidados que devem ser adotados para evitar focos do mosquito Aedes Aegypti, que transmite a dengue, o vírus Zika e a Chikungunya, os usuários do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) Severina Celestino saíram em caminhada pelos bairros Morro, Santa Clara e José Mariz, nesta quinta-feira, 17 de março, distribuindo panfletos à população e colando cartazes nos estabelecimentos e locais de maior movimentação.

 

No ato, os grupos de crianças e adolescentes do CRAS se uniram para orientar a população sobre os cuidados que devem ser tomados para evitar a proliferação do mosquito. Ao abordar as pessoas nas ruas, os usuários entregavam os panfletos e passavam as recomendações necessárias para conscientizar a população sobre os riscos das doenças que são transmitidas e sobre como evitar focos do mosquito nas casas e terrenos.

 

Helen Sabrina, que tem sete anos, é usuária do grupo de crianças do CRAS e participou da campanha. Ao ser questionada sobre a importância de eles passarem essas informações para a população, a pequena Helen afirmou que quanto mais pessoas estiverem unidas no combate, melhor. Helen falou da relevância da campanha.

 

‘’ Nós já tivemos muitas aulas sobre essas prevenções na escola. Aqui no CRAS nós já aprendemos a nos prevenir com as professoras, elas nos orientam a não deixar água parada, a virar as garrafas de cabeça para baixo, limpar o jardim. Quanto mais pessoas estiverem lutando contra o mosquito melhor para combater as doenças, porque seremos todos nós contra um’’, afirmou a pequena Helen.

 

Rosângela Monteiro é Orientadora Social do CRAS e idealizadora da campanha de combate ao mosquito. Rosângela vem desenvolvendo palestras e campanhas internas há alguns meses com os grupos de crianças e adolescentes, e agora decidiu que esse projeto deveria tomar outros rumos, para influenciar mais pessoas a combaterem essas doenças.

 

‘’ Decidimos sair às ruas porque alguns focos do mosquito foram identificados aqui nos bairros mais próximos, por isso estamos orientando a comunidade sobre os riscos e cuidados que ela deve tomar para evitar a proliferação dessas doenças. Queremos mostrar os problemas à população, que tem que se educar para evitar criatórios do mosquito. Estamos trabalhando agora com a questão da prevenção e queremos mostrar que as crianças e adolescentes são cidadãos críticos e participativos, que podem atuar diretamente na sua comunidade’’, explicou a Orientadora Social.

 

Coordecom



Fotos e vídeos da postagem


  • Clique para ampliar
  • Clique para ampliar
  • Clique para ampliar

  • Clique para ampliar